ARIPUANÃ, Terça-feira, 27/02/2024 -

NOTÍCIA

EUA têm menor rebanho de gado em 73 anos; compare com o Brasil

Redução da população bovina no país norte-americano tem pressionado o preço da carne; número está em queda desde 2021.

Data: Domingo, 04/02/2024 22:43
Fonte: PODER 360/ Eric Napoli - Hamilton Ferrari

O rebanho de gado nos Estados Unidos recuou ao menor nível desde 1951, ou seja, 73 anos. Em 2024, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, na sigla em inglês) estima que há 87 milhões de cabeças utilizadas em atividade econômicas, uma queda de 2% em comparação com 2023. Eis a íntegra do levantamento (PDF – 803 kB, em inglês).

O efeito disso é o aumento dos preços das carnes bovinas no país. A oferta diminui e os preços sobem. Os dados são de 1º de janeiro deste ano. O pico histórico foi registrado em 1975, quando havia 132 milhões de cabeças de gado. O número está em queda pelo...

Os EUA são o país que mais produz carne bovina no mundo. A demanda cresce globalmente. A inflação do grupo de carnes, aves e peixes nos EUA foi de 2,3% em 2023, puxada pelos bovinos (+8,7%). Os dados foram detalhados pelo Bureau of Labor Statistcs em 11 de janeiro de 2024....

Os pecuaristas abatem mais vacas do que têm disponível para reprodução. Os motivos são as secas persistentes, os custos de alimentação e as taxas de juros maiores. compartilhe esta imagem...

BRASIL E O MUNDO

Em oposição aos EUA, o número de cabeças de gado no Brasil cresceu nos últimos anos. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), esse volume bateu recorde em 2022, quando foram contabilizados 234 milhões de bovinos no país.

Em levantamento do USDA, que considera o gado comercial, o Brasil está na liderança do ranking com 194 milhões de bovinos. Isso representa cerca de 20% de todo gado comercial do planeta. Eis a íntegra do estudo (PDF – 744 kB, em inglês).

Esse resultado é impulsionado pelo aumento na atividade de exportação de carne bovina brasileira, especialmente para a China.

Segundo dados da Abrafrigo (Associação Brasileira de Frigoríficos), o país exportou 2,5 milhões de toneladas de carne em 2023, recorde no setor. Desse montante, 47,7% teve como destino o país asiático. Leia a íntegra do relatório (PDF – 2 MB).