ARIPUANÃ, Sexta-feira, 29/05/2020 -

NOTÍCIA

Anvisa libera uso da cloroquina em pacientes com Covid-19 e MT receberá 3500 comprimidos

Data: Segunda-feira, 30/03/2020 15:21
Fonte: OLHAR DIRETO/ Isabela Mercuri

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou o uso de cloroquina e hidroxicloroquina em casos graves de pacientes com o novo coronavírus (COVID-19), e Mato Grosso receberá, em breve, 3500 comprimidos do medicamento. O Hospital Júlio Müller já realiza um protocolo clínico para o uso. 

Segundo a presidente do Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso (CRM-MT), Dra. Hildenete Monteiro Fortes, cada médico, que está em contato com os pacientes, fará a indicação do uso. No entanto, inicialmente seria somente para os que estão em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).
 
“Tem a indicação, conforme a nota que a Anvisa emitiu, de uma dose de ataque de 900 mg no primeiro dia e 450mg nos outros dias, o tratamento seria em torno de 5 dias. Nós vamos receber em torno de 3500 comprimidos de imediato. A quantidade eles vão distribuir é de 500 mil para o Brasil inteiro, e 3500 para Mato Grosso”, explica.
 
Em nota, a Anvisa afirma que “A presente medida considera que não existe outro tratamento específico eficaz disponível até o momento. Importante ressaltar que há dezenas de estudos clínicos nacionais e internacionais em andamento, avaliando a eficácia e segurança de cloroquina/hidroxicloroquina para infecção por COVID-19, bem como outros medicamentos, e, portanto, essa medida poderá ser modificada a qualquer momento, a depender de novas evidências cienficas”
 
Segundo a presidente do CRM-MT, é necessário cautela no uso do medicamento, já que ele tem efeitos colaterais como retinopatia e efeitos cardiovasculares. “Aqueles pacientes cardiopatadas terão que ser muito bem avaliados no uso”, esclarece.
 
A Anvisa esclareceu que a determinação da quantidade distribuída para cada estado tem relação com com o número de casos notificados no boletim do Ministério da Saúde. O medicamento será distribuído pelo Ministério às Secretarias Estaduais de Saúde, que realizarão o envio aos hospitais de referência de sua região. A primeira distribuição começou em 27 de março, sexta-feira.