ARIPUANÃ, Sexta-feira, 22/11/2019 -

NOTÍCIA

Investigações do triplo homicídio registrado no garimpo de Aripuanã estão bem avançadas

Data: Segunda-feira, 04/11/2019 18:35
Fonte: JUÍNA NEWS

A Polícia Civil já tem indícios da autoria e motivação do triplo homicídio ocorrido no dia 26 de Outubro, em um garimpo ilegal, em Aripuanã (934 quilômetros de Cuiabá), quando três pessoas de uma mesma família foram executadas a tiros dentro de uma camionete, há aproximadamente 14 quilômetros da cidade.

As vítimas foram identificadas como: Osmir Zeferino, de 48 anos; o filho dele Matheus Paes Zeferino, de 20 anos e Klidio Henrique Richieri Pereira, de 26 anos, genro de Osmir.

O delegado regional de Juína, Carlos Francisco de Moraes, informou que a as investigações sobre a autoria e motivação do triplo homicídio estão bem avançadas, e em breve o caso será esclarecido.

"As investigações avançaram bastante, inclusive quem preside esse inquérito brilhantemente é o delegado de Aripuanã, Dr. Henrique, que em conjunto com a Polícia Militar fizeram diligências na data da ocorrência, fizeram alguns levantamentos e já tem indícios da possível autoria do crime, que assim que confirmado, será representado pela prisão preventiva dos possíveis autores ou autor", afirma o delegado.

Ainda segundo o delegado, as investigações apontam a possível motivação do crime: a ganância. “Do ponto de vista técnico, houve um desentendimento, alguns dizem que por causa de uma caixa d’água, mas estamos investigando outras motivações. Infelizmente três vidas foram ceifadas”- lamentou.

O garimpo ilegal localizado em uma propriedade rural do município de Aripuanã atraiu milhares de pessoas de várias regiões do Brasil, o que contribuiu para o aumento nos números de armas de fogo e consequentemente para homicídios, crimes contra o meio ambiente, contra o patrimônio e tráfico ilícito de drogas.

“Estimava-se uma população flutuante entre mil a 1,5 mil pessoas naquela região ” – lembrou o delegado Carlos Francisco.

A polícia civil ressaltou que foram cumpridos mandados de prisão em Juína, Aripuanã, Alta Floresta e Paranaíta na primeira fase da ‘Operação Trypes’, que foi deflagrada no dia 26 de setembro, com o objetivo de investigar irregularidades na extração de ouro em garimpos do estado. 

Em Aripuanã, centenas de garimpeiros e pessoas que ocupavam o local foram retiradas através de forças policiais. Os buracos abertos na área foram detonados para acabar com a atividade garimpeira e todos os maquinários utilizados na extração de ouro foram destruídos.