ARIPUANÃ, Domingo, 15/09/2019 -

NOTÍCIA

Sem acordo, Sintep MT decide que greve continua

As escolas que não aderiram à greve foram : escola 7 de Setembro e escola Ana Néri, além das escolas indígenas.

Data: Terça-feira, 11/06/2019 13:53
Fonte: Juína News

Iniciada no dia 27 de maio a greve dos profissionais da educação entra para a terceira semana sem quaisquer perspectivas de acordo por parte do governo.

Segundo fontes do Sindicato dos trabalhadores do ensino público, (SINTEP), a categoria iniciou a greve para fazer valer a lei 510/2013, sancionada no governo de Sinval Barbosa dando maior poder de compra aos trabalhadores da educação, e também para que os profissionais que passaram no último concurso público sejam empossados e nomeados efetivos, desta forma dando cumprimento ao artigo 245, que determina que seja assegurado os fundos fiscais para garantir o percentual destinados a educação.

São aproximadamente 93 municípios do estado que aderiram a paralisação das atividades nas escolas. Na cidade de Juína apenas uma escola está trabalhando de forma integral e outra de forma parcial, mas garantindo o direito dos alunos ao cumprimento do calendário letivo sem que haja reposição aos sábados e tão pouca o calendário se estenda até janeiro de 2020.

O movimento de greve tem divido opiniões nas redes sociais e até mesmo na sociedade de modo geral, porém o sindicato ressaltou que não houve uma única proposta por parte do governo, onde a categoria não está reivindicando aumentos salariais e sim o cumprimento da lei 510/2103, sendo que até o presente momento a equipe do governo só alegou não ter fundos para cumprir a folha de pagamento caso tenha que cumprir a lei do poder de dobra de compras, e dessa forma os profissionais da educação, mesmo com o ponto cortado e sob ameaças de demissão do governo, continuam em greve por tempo indeterminado.