ARIPUANÃ, Quarta-feira, 12/08/2020 -

NOTÍCIA

Tarifa de energia fica mais barata

Data: Sexta-feira, 09/04/2010 00:00
Fonte:

Fonte:gazeta

A tarifa de energia elétrica para os consumidores de Mato Grosso foi reduzida em 2,55% a partir de ontém quinta (8). A queda foi aprovada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) nesta terça-feira (6) e irá beneficiar um total de 992,368 mil consumidores nos 141 municípios do Estado. O reajuste é realizado (para mais ou para menos) todos os anos e sempre entra em vigor no aniversário de Cuiabá. O percentual negativo é contrário ao pleito das Centrais Elétricas Mato-grossenses (Cemat) que solicitou aumento de 9,92% da tarifa. Em 2009, a revisão tarifária resultou em alta de 13,04%.

Segundo a Aneel, a retração para os consumidores residenciais (baixa tensão) será em média, de 2,59%. Já para o setor industrial (alta tensão), a redução irá variar entre -2,25% e -4,74%, o que vai depender do consumo de energia. Ainda conforme a agência, os percentuais aprovados de reajuste das distribuidoras refletem, entre outros fatores, a variação do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M), índice previsto no contrato de concessão para mensurar a inflação no período, a redução do custo da distribuidora com compra de energia de Itaipu em razão da queda do dólar e o aumento do custo de encargos do setor, como a Conta de Consumo de Combustíveis (CCC).

Ao calcular os índices de reajuste, a Aneel considera a variação de custos que a empresa teve no decorrer do período de referência. A fórmula de cálculo inclui custos típicos da atividade de distribuição, sobre os quais incide o IGP-M, e outros custos que não acompanham necessariamente o índice inflacionário. Por meio de nota, a Cemat apenas informou os índices médios de barateamento da tarifa de energia.

A empresa só vai se pronunciar após a publicação da Resolução Homologatória do Reajuste Tarifário, que foi publicado dia (7) no Diário Oficial da União. "A resolução trará os índices de reajuste e o valor do quilowatt/hora (kWh) para cada classe de consumo (residencial, residencial baixa renda, industrial, comercial, rural, poder público, serviços públicos e iluminação pública)", informa o comunicado.

Atualmente, o valor do quilowatt/hora, entrou em vigor ontém (8), é de R$ 0,36332 para a classe residencial. Para a Baixa Renda o valor é escalonado variando de R$ 0,12344 a R$ 0,32694 (ver tabela), dependendo do consumo. Esses valores também não contemplam tributos como ICMS, Taxa de Iluminação Pública.