ARIPUANÃ, Segunda-feira, 13/07/2020 -

NOTÍCIA

8º mais rico do mundo Eike Batista, denunciado por poluir o Pantanal

Data: Terça-feira, 23/03/2010 00:00
Fonte:

Fonte:olhardireto

Eike Batista, o oitavo homem mais rico do mundo, segundo a revista americana Forbes e filho do ex-ministro Eliezer Batista, foi denunciado por poluir o Pantanal mato-grossense, um dos biomas mais sensíveis do planeta terra. A denúncia é do Ministério Público Federal (MPF) contra a siderúrgica MMX, pertencente a Eike Batista. Além da MMX, mais duas empresas que atuam no estado por produção e comercialização irregulares de carvão foram incluídas na denúncia.

A MMX é acusada de comprar carvão vegetal produzido com desmatamento de árvores nativas. O carvão, adquirido de fornecedor não licenciado, vinha do município de Bonito, na entrada do Pantanal, onde a exploração de madeira para esse fim é proibida.

De acordo com o MPF, a empresa também foi flagrada recebendo 25 documentos de origem florestal (DOF) falsos de uma empresa envolvida em um esquema de fraudes do sistema eletrônico de controle de produtos florestais, informa a Agência Brasil.

As empresas Black Comércio de Carvão Vegetal e HF Agropecuária também foram denunciadas pela extração de madeira nativa para produção de carvão. Segundo a investigação, as duas empresas retiraram madeira de uma área equivalente a mais de mil campos de futebol do interior da Terra Indígena Kadiwéu, na região de Corumbá, também no Pantanal sul matogrossense.

Na denúncia contra a MMX, o MPF pede que a empresa responda por crime ambiental por deixar de cumprir obrigação de relevante interesse ambiental, por operar em desacordo com licença ambiental concedida e por desobedecer um auto de infração do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

A Black Comércio de Carvão Vegetal e a HF Agropecuária Ltda deverão responder criminalmente pelo corte e transformação de madeira de lei em carvão. Além de multa, a lei prevê reclusão de um a dois anos.