ARIPUANÃ, Sábado, 15/12/2018 -

NOTÍCIA

Médica investigada por morte de prefeito é acusada de usar diploma falso

Data: Sexta-feira, 12/01/2018 00:00
Fonte: O Documento

 

MPE ofereceu denúncia contra a médica Yana Fois Coelho Alvarenga
MPE ofereceu denúncia contra a médica Yana Fois Coelho Alvarenga
 

A médica Yana Fois Coelho Alvarenga foi denunciada pelo Ministério Público Estadual (MPE) por falsidade ideológica por suposto uso de documento falso de médica pediátrica com especialização em dermatologia, que teria sido realizada na Universidade de São Paulo (USP). Ela teria apresentado a documentação no Hospital Municipal André Maggi, em Colniza (1080 km). A denúncia foi oferecida pelo promotor de Justiça Willian Oguido Ogama, da Promotoria de Colniza, ao juízo da comarca de Aripuanã, nesta quinta-feira (11). 

 

De acordo com o MPE, o dados informados por Yana foram negados pelo Coordenador Geral da Comissão de Residência Médica (COREME), da Faculdade de Medicina da USP , que informou ainda que o nome dela não consta nos registros  de pós graduação senso. Os dados informados pela médica foram negados pelo Coordenador Geral da Comissão de Residência Médica – COREME da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, que informou que Yana Fois Coelho Alvarenga, não consta nos registros de pós-graduação senso.

 

“A médica Yana Fois Coelho Alvarenga não consta em nossos registros de pós-graduação senso lato – Residência Médica da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo”, disse trecho do documento.

 

Após as investigações, a médica admitiu que não possui especialização em pediatria. “A denunciada Yana Fois Coelho Alvarenga inseriu declarações falsas, com o fim de alterar a verdade sobre fato juridicamente relevante. Ela também confessou que atendeu no Hospital Municipal em outros lugares em que atuou e, em sua consultas, assinava como pediatria, diz trecho da denúncia do MPE.

 

Yana Alvarenga é esposa do empresário Antônio Pereira Rodrigues, apontado como mandante do homicídio contra o prefeito de Colniza, Esvandir Antonio Mendes, ocorrida no último dia 15. Ela está presa temporariamente desde o dia 26 de dezembro no presídio feminino Ana Maria do Couto May, em Cuiabá.

 

Esvandir foi perseguido pelos suspeitos que estavam em um SUV de cor preta. Após os disparos, o prefeito ainda conseguiu dirigir e chegar no perímetro urbano de Colniza.