ARIPUANÃ, Segunda-feira, 18/02/2019 -

NOTÍCIA

Secretário e mais três são afastados da Prefeitura de Aripuanã após denúncias

A denúncia chegou ao MP por meio dos vereadores Erasmo Carlos Contadini, Audison da Silva Lima e Valdenir da Silva.

Data: Segunda-feira, 11/02/2019 16:10
Fonte: Circuito MT/ Sandra Carvalho

O secretário municipal de Desenvolvimento Rural de Aripuanã, Cilmo Ferreira dos Santos foi afastado do cargo por suspeita do uso de bens públicos para fins particulares. Entre as denúncias,  apropriação de 1.500 mudas de café do Projeto Café Forte, aquisição de combustível sem licitação e subtração de tijolos.

Outros três gestores denunciados pelo Ministério Público Estadual (MP/MT) também foram afastados por ordem do juiz daquela comarca, Ricardo Frazon Meneguci.

A denúncia chegou ao MP por meio dos vereadores Erasmo Carlos Contadini (PP), Audison da Silva Lima (PSB) e Valdenir da Silva (MDB).

Consta na denúncia que o então secretário teria levado para sua residência aproximadamente 800 tijolos, adquiridos pelo município para a realização da construção da feira do Jardim Planalto e de 1.500 mudas de café que estavam no viveiro municipal e seriam distribuídos aos pequenos produtores por meio do Projeto Café Forte. O vereador Audison Lima disse que presenciou o carregamento dos tijolos no veículo de Cilmo Ferreira pra sua residência.

“Verificou-se, também, diversas inconsistências e incongruências na destinação de doações particulares de bens, sejam produtos alimentícios, material publicitário ou pecúnia, advindos de pessoas físicas ou jurídicas, pelo Secretário réu no lançamento dos eventos Café Forte e Dia do Campo”, escreveu o promotor Carlos Frederico Regis de Campos na inicial.

A ação do de gestores denunciados também teria redundado em dano ao erário municipal por celebrarem contratos, sem licitação e sem justificativa para tal dispensa, para aquisição de derivado de petróleo (óleo diesel combustível) para uso de veículos da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural.

Cilmo Ferreira dos Santos foi afastado em dezembro do ano passado pelo prefeito Jonas Canarinho (PR) após o chefe do Executivo ouvir suas argumentações em relação tema na presença dos vereadores que oficializaram a denúncia. O prefeito não se convenceu e decidiu pelo afastamento do secretário.

Já no dia 08 de fevereiro passado o juiz Ricardo Frazon Meneguci determinou o afastamento dos outros três gestores alegando que a permanência deles no cargo poderá “trazer danos irreparáveis à instrução processual”.

Ao Circuito Mato Grosso, o secretário afastado Cilmo Ferreira disse que vai se pronunciar tão logo tenha em mãos todos os documentos referentes à denúncia.