ARIPUANÃ, Sexta-feira, 22/03/2019 -

NOTÍCIA

Colniza (MT) permanece com reforço policial após 9 pessoas serem baleadas em fazenda

Quatro seguranças da Fazenda Agropecuária Bauru (Magali) teriam atirado em posseiros, deixando uma pessoa morta.

Data: Sexta-feira, 11/01/2019 14:37
Fonte: Por Flávia Borges, G1 MT

Equipes da Gerência de Operações Especiais (GOE), da Polícia Civil, estão em Colniza, a 1.065 km de Cuiabá, realizando policiamento ostensivo na tentativa de pacificar a área onde 9 pessoas foram baleadas no último sábado (5).

Quatro seguranças da Fazenda Agropecuária Bauru (Magali) teriam atirado em posseiros, deixando uma pessoa morta. Elizeu Queres de Jesus, 38 anos, foi atingido por vários disparos de arma de fogo e morreu antes de ser socorrido.

Os quatro seguranças que haviam sido presos foram soltos por determinação judicial no dia seguinte ao crime.

Dos nove baleados, dois continuam internados em estado grave em Juína, a 690 km de Cuiabá.

Segundo a Polícia Civil, os seguranças foram interrogados e afirmaram que reagiram a invasão de posseiros supostamente armados. Eles foram autuados em flagrante por um homicídio consumado e nove tentativas de homicídio.

Em depoimento, alguns dos feridos declararam que nenhum dos posseiros portava arma de fogo.

Conforme a polícia, há indícios de que os posseiros não estavam armados, pois só foram encontradas cápsulas de armas de mesmo calibre dos seguranças da propriedade rural.

Foram apreendidas quatro armas de fogo, sendo uma espingarda calibre 12, duas pistolas 380, e um revólver, calibre 38.

A propriedade tem histórico de invasões. Em outubro de 2018, cerca de 200 pessoas armadas invadiram a propriedade. Naquela ocasião, o Ministério Público Estadual (MPE) havia alertado o governo de Mato Grosso sobre risco de conflito armado.

A fazenda pertence ao ex-governador Silval Barbosa e fica a 40 km de Colniza. Ele afirmou em delação premiada que comprou a fazenda em sociedade com o ex-deputado José Geraldo Riva. O G1 tenta falar com o ex-governador. Riva lamentou o ocorrido e disse que os seguranças foram vítimas de uma emboscada.