ARIPUANÃ, Quarta-feira, 17/10/2018 -

NOTÍCIA

Seis secretarias farão transição entre governos de Taques e Mendes

Data: Terça-feira, 09/10/2018 19:47
Fonte: Gazeta Digital/ Celly Silva e Pablo Rodrigo

As Secretarias de Estado de Fazenda, Planejamento, Gestão, a Controladoria e a Procuradoria Geral, chefiadas pela Casa Civil, irão participar da Comissão de Transmissão de Mandato que será oficializada por meio de decreto governamental que será publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) desta quarta-feira (9).

“Essas 5 secretarias, coordenadas pela Casa Civil, é que vão fazer, em nome do governo, esse enlace com a equipe da nova gestão. A partir de amanhã já estaremos prontos a recebê-los”, disse o chefe da Casa Civil, Ciro Rodolpho Gonçalves, nesta terça-feira (9).

Por parte do governador eleito, Mauro Mendes (DEM), que assume o Palácio Paiaguás no dia 1º de janeiro de 2019, ainda não foram apresentados os nomes que participarão da equipe de transição, o que deve ocorrer na próxima semana, conforme assessoria de imprensa.

Conforme Ciro Gonçalves, nos últimos meses que faltam para o fim da atual gestão do Estado, algumas pautas estão sendo priorizadas, como a conclusão das obras das rodovias de acesso a Cuiabá e o auxílio financeiro à obra do novo Pronto-Socorro da Capital.

O secretário reconheceu que, da carta de compromissos apresentada pelo governador Pedro Taques (PSDB) - terceiro colocado na eleição do último dia 7 -, em 2014, nem tudo será entregue. “Temos 80 dias. Cada secretário sabe que talvez não conseguiremos entregar tudo, mas pautamos aquilo que é mais essencial para o cidadão”, ponderou. 

Ao defender a atual administração, o chefe da Casa Civil também destacou a herança deixada pelo ex-governador Silval Barbosa e negou que o Estado será entregue pior do que o que foi encontrado em 2014, como Mendes afirmou durante a campanha. “Recebemos um Estado quebrado eticamente, recebemos um Estado quebrado com relação à integridade, com relação à moral e isso, com certeza, estamos seguros, é incontestável, na avaliação de qualquer mato-grossense. Com relação à questão fiscal, financeira, entregaremos o Estado em condição melhor do que 2014”, afirmou.

Ciro ainda ressaltou que a crise econômica dos últimos anos levou 8 Estados a ficarem com salários atrasados junto aos servidores, Estados que também passam dificuldades com fornecedores e que, apesar das dificuldades, Mas Mato Grosso está com salários em dia e duodécimos repactuados. 

Em relação às pautas junto à Assembleia Legislativa, o gestor afirmou que ainda no fim deste mandato, haverão debates importantes, como a lei orçamentária, que já foi encaminhada para o Parlamento e outras propostas de lei, que compunham a carta de propostas de Pedro Taques. “Segue tudo normal, de maneira estruturada”, comentou Ciro sobre a tramitação.