ARIPUANÃ, Domingo, 18/11/2018 -

NOTÍCIA

Mulher é presa suspeita de incendiar casa com dois sobrinhos e namorada dentro em Novo Aripuanã

Crianças de 3 e 5 anos de idade foram salvas por vizinhos e policiais, que arrombaram a casa no interior do estado. Mulher, que confessou crime, apresentava sintomas de embriaguez.

Data: Segunda-feira, 10/09/2018 11:25
Fonte: Por Ive Rylo, G1 AM

Uma mulher de 32 anos foi presa após incendiar a casa onde a companheira e os dois sobrinhos de 3 e 5 anos de idade estavam, diz a polícia. O crime ocorreu no município de Novo Aripuanã, a 227 km de Manaus, na noite do sábado (8). A suspeita foi presa e confessou o crime. Tanto as crianças quanto a namorada estão vivas e hospitalizadas.

Segundo informações repassadas por um policial do 2º Pelotão de Novo Aripuanã, a suspeita, que apresentava sinais de embriaguez, teria discutido com a companheira e a agredido. Com o soco, a companheira desmaiou. Fora de si, a suspeita atirou combustível na parceira, que permanecia desacordada, e nos dois sobrinhos - uma menina de 3 anos e um menino de 5 anos.

A polícia informou que a suspeita, em depoimento, afirmou que acenderia um fósforo e lançar direto contra as crianças, mas não teve coragem. Ela, então, resolveu espalhar combustível pela casa e atear fogo, até que as chamas encontrassem os corpos das crianças e da namorada. Ao fugir, ela ainda teria trancado a residência, segundo testemunhas.

Os vizinhos viram o fogo se espalhar e ouviram as crianças pedindo socorro. Com o auxílio de Policiais do 2º Pelotão de Novo Aripuanã, a casa foi arrombada e todos foram salvos.

 
Incêndio iniciou após briga de casal no interior do Amzonas (Foto: Divulgação/PM)

Incêndio iniciou após briga de casal no interior do Amzonas (Foto: Divulgação/PM)

 

As vítimas foram levados para o Hospital do município e passam bem.

Segundo relatos de testemunhas, o pai e a mãe das crianças, donos da residências, haviam deixado-as sob a guarda da tia e da namorada enquanto deram uma rápida saída.

Após diligências, os policiais encontraram a suspeita do incêndio e levaram-na ao 73º Distrito Integrado de Polícia (DIP).

Flagranteada

De acordo com o delegado do município, Rudval Magno, a suspeita foi autuada em flagrante e deve responder pelo crime previsto no artigo 250 do Código Penal Brasileiro (CPB). A lei prevê reclusão, de três a seis anos, e multa para quem causar incêndio, expondo a perigo a vida, a integridade física ou o patrimônio de outrem.