ARIPUANÃ, Sábado, 21/07/2018 -

COLUNAS

Corrupção também tem DNA

Data: Sexta-feira, 20/03/2015 00:00
Fonte: Onofre Ribeiro

Corrupção também tem DNA

A respeito da endêmica corrupção brasileira, tomo a liberdade de transcrever trecho da dissertação de mestrado do advogado paraibano Thiago Xavier de Andrade,  especialista em Direito Administrativo: “Nos dizeres de Emerson Garcia, o caminho a ser percorrido no embate à corrupção será longo e tortuoso e talvez ela possa ser suavizada mas nunca será eliminada: “(...) é possível afirmar, com certa tristeza, que a ordem natural das coisas está a indicar que ainda temos um longo e tortuoso caminho a percorrer. O combate à corrupção não haverá de ser fruto de mera produção normativa, mas, sim, o resultado da aquisição de uma consciência democrática e de uma lenta e paulatina participação popular, o que permitirá uma contínua fiscalização das instituições públicas, reduzirá a conivência e, pouco a pouco, depurará as idéias daqueles que pretendem ascender ao poder. Com isto, a corrupção poderá ser atenuada pois, eliminada nunca o será.”

 

É dele também a afirmação de que: “Antes de qualquer coisa, o Brasil precisa compreender que deve caminhar para um tempo onde o afamado “jeitinho brasileiro”, de querer se pôr em vantagem sempre, não seja mais um comportamento culturalmente aceito, como hoje acontece. É preciso que o corrupto sinta que não mais é aceito pela sociedade, que trata-se de persona non gratta”

 

A corrupção nasceu junto com a colônia de explorações dos recursos naturais pelos portugueses a partir da descoberta. Na medida em que a colônia adquiria importância para Portugal em virtude do seu ouro e da geopolítica portuguesa na Europa e no comércio naval, mais a corte portuguesa aparelhou sua administração ultramarina com burocratas portadores de grande poder. Sobre os efeitos disso dispensam-se os comentários.

 

Mais tarde a independência, o Império e a República brasileiros replicaram a cultura burocrática e, junto, a corrupção endêmica. Não adianta negar. Foi assim mesmo.

 

Hoje, a percepção da corrupção chega à base da sociedade pela abrangência da mídia na internet, das redes sociais e da perda de medo dos cidadãos em relação ao poder do Estado. No regime militar o Estado intimidou os cidadãos pelas prisões discricionárias, pela censura e pelos órgãos de informação que se tornaram apêndices com vida própria dentro da República.

 

Contudo, cultura leva muito tempo para se construída e outro tempo para ser desconstruída. No caso brasileiro, a desconstrução está apenas começando...!

 

 

 

onofreribeiro@terra.com.br   www.onofreribeiro.com.br



Autor: Onofre Ribeiro
Sobre: Onofre Ribeiro é jornalista em Mato Grosso