ARIPUANÃ, Domingo, 18/11/2018 -

COLUNAS

Paulo Leite

Data: Terça-feira, 06/05/2014 00:00
Fonte:

Paulo Leite


            Nos deixou na semana que passou o amigo e jornalista Paulo Leite. Como diz o apresentador de TV Rolando Boldrin, “ele partiu antes do combinado”. Particularmente tenho motivos para registrar a sua passagem espiritual e ao mesmo tempo recordar momentos de nossa vivência.


            Em 1980 um grupo empresarial liderado pelo então deputado Benedito Alves Ferraz, e o Grupo Vila Real de Comunicação, do qual fazia parte, fundamos o “Jornal do Dia”, criado para ser um grande veículo de comunicação do Mato Grosso que despontava a partir da divisão do Estado.


            Na falta de profissionais de imprensa, trouxemos de Londrina o Alceu, e de Sorocaba o Paulo Leite, com 21 anos, Alexandre, Roseli Cordeiro e Clayton. No quadro tínhamos entre outros o lendário Nelson Severino e a colunista social Shirley Ocampos, além de Lygia Lemos, uma cria da casa pra preencher o quadro.


            Paulo veio para a área de cobertura local, mas acabou designado para fazer a cobertura política do governo no Palácio Paiaguás, onde firmou amizades que mudariam o seu futuro. Acabou deixando o jornal e ficou no governo, onde mais tarde nos reencontramos. De lá ele saiu para acompanhar a candidatura a senador do ex-embaixador Roberto Campos. Em 1983, foi para a recém-criada Secretaria Extraordinária de Comunicação no governo Júlio Campos, como sub-secretário.


            Em 1990 veio como secretário de comunicação no governo Jaime Campos, e daí para a vida da publicidade e do marketing político que absorveu toda a sua vida daí por diante.


            Rimos muito da crônica política humorística da política e então e muitas delas foram publicadas no seu livro dedicado aos “causos” dos nossos políticos.


            Desde então cruzamos-nos esporadicamente, mas sempre regados a boa prosa e boas risadas. Nossa última prosa foi no “Programa Eder Moraes”, onde discutimos a boa assessoria de comunicação dentro dos processos políticos mato-grossenses históricos e atuais. De novo, rimos bastante e não nos falamos mais pessoalmente. Acompanhei sua doença através de notícias na mídia.


            Nosso último encontro foi junto com tantos amigos que foram despedir-se dele na última quarta-feira. Saí de lá, depois de abraçar sua esposa Luciana e os seus filhos João Gabriel e Luis Felipe, com aquela sensação de junto com Paulo ia junto parte da história do Mato Grosso recente. Confesso aquela dolorosa sensação de que as nossas missões terminam um dia e a gente vai para o campo da memória, até um dia tudo isso desaparecer no tempo gradualmente...!


Onofre Ribeiro é jornalista em Mato Grosso

onofreribeiro@terra.com.br    www.onofreribeiro.com.br



Autor:
Sobre: