ARIPUANÃ, Sábado, 21/07/2018 -

COLUNAS

30 anos das Diretas Já

Data: Quarta-feira, 30/04/2014 00:00
Fonte:

30 anos das Diretas Já


            Na noite do dia 25 de abril de 1984, mudava a história do Brasil, a partir da derrota da emenda das Diretas Já, na Câmara dos Deputados, de autoria do deputado mato-grossense Dante de Oliveira. Dante morreria em julho de 2006, depois da abertura democrática e de ter sido governador de Mato Grosso.


            Foi um grande momento histórico no século 20. Em 1964 os militares brasileiros conseguiram, finalmente, concretizar as conspirações para tomada do poder político, e derrubaram o governo constitucional de João Goulart, em 31 de março. Apoiados pelas áreas conservadoras da sociedade e pelos Estados Unidos, os militares derrubaram Jango e assumiram o governo do Brasil pelos 21 anos seguintes, até 1985.


            Eles chamaram o fato de “Revolução de 31 de Março” e até a apelidaram de “Gloriosa”. Deveriam concluir o mandato de Jango, até 15 de março de 1965. É bom lembrar que Jango concluía o mandato do presidente Jânio Quadros que renunciou em 24 de agosto de 1961. Em 1964 ainda seriam conclamadas eleições para eleger o sucessor do Marechal Humberto de Alencar Castello Branco, o primeiro presidente militar. Por pressões dos setores estratégicos do Exército, outros presidentes militares, todos generais, se mantiveram no poder até 15 de março de 1985, 21 anos depois.


            Em 1973, a primeira crise mundial do petróleo enfraqueceu demais a economia brasileira que arrastou-se de mal a pior pelos anos seguintes. Em 1984 a emenda das Diretas Já encontrava um país empobrecido e com poucas perspectivas. A sociedade aos poucos foi aderindo à ideia, comandada pelo PMDB, o partido de oposição ao PDS e aos militares. Em 24 de fevereiro comício em Belo Horizonte reuniu 400 mil pessoas, em 10 de abril, 1 milhão no Rio de Janeiro, em 12 de abril 300 mil em Goiânia, e em 16 de abril 1 milhão e meio em São Paulo, na Praça da Sé. Esta é considerada a maior manifestação política popular do país.


            Em 25 de abril a emenda foi à votação na Câmara dos Deputados onde perdeu por minoria, depois de intensas manobras do governo e dos parlamentares governistas para derrotá-la.


            Contudo, a repercussão das Diretas Já somada à economia desgastada, levou o governo militar iniciar imediatamente as negociações para a transição democrática, até o fim do ano, que se daria com a eleição de Tancredo Neves, um peemedebista moderado, para Presidente da República a partir de 1985. A emenda das Diretas Já, de Dante e do PMDB, abreviaram a morte da Revolução e restabeleceu a democracia. Parabens permanentes ao nosso querido Dante que não está mais entre nós.


Onofre Ribeiro é jornalista em Mato Grosso

onofreribeiro@terra.com.br   www.onofreribeiro.com.br



Autor:
Sobre: